Mãe relata em vídeo como foi o parto de Julia, que teve a cabeça cortada em Toledo

No vídeo, Miglia também relata sua indignação e pede justiça pela morte da filha, para que mais famílias não passem por casos semelhantes.

O casal de agricultores Leonardo Kuester e Miglia de Paula, residentes no município de Mercedes, procurou a reportagem da Rádio Guaçu de Toledo e o site Radar B.O., para cobrar das autoridades competentes uma ação visando evitar que outros casais passem pelo que estão vivendo após a filha Julia Gabriele Kuester, morrer durante um parto na Casa de Saúde Bom Jesus, em Toledo.

Para o pai, Julia morreu por negligência e a mãe muito abalada, cobra Justiça. Grávida de 39 semanas e perdendo líquido e sangue, Miglia foi levada pelo marido para o hospital na última segunda-feira (31).

“Ela [mãe] estava muito mal, mas o médico queria esperar para que ela tivesse parto normal. Na terça-feira, vendo que a situação não evoluía, o médico pediu um exame de ultrassom e isso ocorreu no período da tarde. O exame mostrou que não havia condições da minha esposa ser submetida a parto normal, pois o bebê era grande, estava com 3.950 kg e não havia dilatação suficiente. Por isso, marcou a cesariana para as 07h30min de quarta-feira, dia de finados. Ocorre que houve a troca de plantão e o médico identificado por Elias Pereira da Silva, insistia no parto induzido, mesmo minha esposa gritando de dor pelos quatro cantos. Até as enfermeiras pediram para o médico fazer a cesárea, mas ele não queria. Em determinado momento ele mandou dar uma injeção para induzir ao parto e aí foi o fim. As dores da minha esposa aumentaram, acelerou o trabalho de parto e aí foram fazer o parto normal e em determinado momento a minha filha saiu só com a cabecinha para fora e o corpo ficou preso porque não havia a dilatação, o que já era previsto. Tentaram de todo jeito, mas sem sucesso e a criança forte e linda, morreu. Tiveram que cortar fora o pescoço do bebê e aí correram para a ala cirúrgica para efetuar a retirada do corpo dela e a retiraram e costuraram o ‘pescocinho’ dela para recompor o corpo. Uma tragédia. Após a tragédia, minha esposa ouviu o médico dizer que não era capacitado para fazer o parto, pois não era obstetra. Ouvimos outros relatos sobre este médico e o que queremos agora é que seja feita justiça, nossa filha não volta mais, mas não queremos outras famílias sofrendo o que estamos passando neste momento. Um trauma que jamais será esquecido. A ferida vai cicatrizar, mas jamais será curada por completo”, desabafou o pai à imprensa de Toledo.

A direção do Hospital Bom Jesus deverá se manifestar nas próximas horas sobre o caso, que também comoveu todos os funcionários do próprio hospital.

Julia Gabriele Kuester foi sepultada no cemitério de Mercedes no dia de ontem (03).

A mãe de Julia, bebê morta durante o parto e com a cabeça cortada em Toledo, gravou uma entrevista ao site Radar B.O. de Toledo.

Na entrevista, Miglia de Paula conta como aconteceu o parto e relata o que disse o médico Elias Pereira da Silva, segundo ela.

No vídeo, Miglia também relata sua indignação e pede justiça pela morte da filha, para que mais famílias não passem por casos semelhantes.

Veja o vídeo abaixo:

Fonte: Radar BO

3 Comentários para "Mãe relata em vídeo como foi o parto de Julia, que teve a cabeça cortada em Toledo"

  1. são contra a cesária ? por que ?
    quantos inocentes vão morrer com essa atitude ? esperar esperar … eu senti na pele isso ,mas graças a DEUS o pior não aconteceu. Mas não tenho mais coragem de ariscar minha vida e de um inocente por falta de compaixão.
    ter filho hoje em dia é como se jogar de um penhasco vc não sabe o que vai acontecer no final.

  2. olá, tbm ja passei por isso no hospital Bom Jesus, mas Deus foi maior e minha filha esta muito bem hj completando aninho de vida já.
    Ano passado fui para o hospital bom jesus ganhar minha bebe, ja estava de 40+2 semanas, fiquei em trabalho de parto da 00hrs as 5hrs da manha, onde minha filha não queria nascer de parto normal, eu implorava para o medico por favor faz cesária em mim por favor, o medico se recusava, dizia força mamãe já estou vendo a cabecinha da sua filha mais força.
    Eu já não tinha mais de onde tirar forças, eu dizia eu não tenho mais forças Dr..
    Até então ele viu a situação e resolveu fazer cesária em mim.
    Disse com todas as palavras…
    – Peguem essa menina e leva pra sala pra fazer cesária, agora ela vai sofrer os dois mesmo.
    Dr pediu pra enfermeira trazer um cadeira de rodas para mim, ela disse:
    – Ela consegue ir caminhando.
    Eu não tinha forças pra caminhar gente, eu estava quase desmaiando já de tanta força que havia feito para ter parto normal.
    Mas naquele momento Deus me deu muita força de onde eu não tinha, fui caminhando ate a sala de cirurgia. Onde as enfermeiras não me ajudaram a subir na maca e não me ajudaram a amarrar o cabelo tbm e eu dizendo me ajude por favor eu não aguento, estou sem forças.
    Elas diziam:
    – Vc consegue mãezinha fez filho agora aguenta…..
    Tive minha filha as 5:30 da manha, e só acabei vendo ela mesmo depois de 1he30minutos depois, pq eles me fizeram dormir, pq eu não estava nada bem.
    Mas depois onde fiquei com minha filha fui muito bem atendida pelas enfermeiras.
    Mas no 2 dia passou a psicologa no quarto onde conversou com todas as mãezinhas em particular pedindo como foi o parto de cada uma.
    Eu relatei para a psicologa tudo oq havia acontecido comigo no meu parto, ela disse que iria falr com o RH do hospital dizendo o que eu havia relatado.
    Mas se essa Mãezinha precisar de ajudas para processar esse hospital com certeza pode contar com a minha ajuda.
    Abraços Thais Besen.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Esconder