Prefeitos cobram soluções para problema de falta de energia na região Oeste

Em janeiro, um produtor de peixes perdeu 50 toneladas de tilápia, em Marechal Cândido Rondon. Mais de R$ 220 mil, que não entraram no caixa do agricultor.

Os casos de falta de luz continuam sendo registrados e o produtor rural segue contabilizando prejuízos.

Neste mês, em Capitão Leônidas Marques, a falta de energia gerou um calor excessivo neste aviário. 60% da produção foi perdida. 8 mil frangos mortos e uma rentabilidade que só ficou na expectativa.

Em janeiro, um produtor de peixes perdeu 50 toneladas de tilápia, em Marechal Cândido Rondon. Mais de R$ 220 mil, que não entraram no caixa do agricultor.

No mês seguinte, mais peixes morreram. Dessa vez em Bragantina, na região de Toledo. Com a falta de luz, os animais ficaram sem oxigênio e o prejuízo chegou a R$ 160 mil.

A Associação dos Municípios do Oeste do estado está acompanhando estes casos e irá ajudar os produtores a cobrar providências da Copel.

A nossa equipe entrou em contato com a Copel, que preferiu responder por meio de nota. A companhia informou que uma série de reuniões já estão sendo realizadas com produtores rurais da região e também com as prefeituras. E que dentre as 1.700 ações de melhoria, programadas para os próximos três anos, nas regiões oeste e sudoeste do estado, está a construção de 800 quilômetros de novas redes de energia elétrica.

Ainda de acordo com a Copel, religadores automáticos de energia serão instalados na zona rural. O equipamento minimiza o tempo de falta de eletricidade, e pode ser uma solução para o homem do campo.

Entretanto, essas mudanças têm previsão para serem concluídas apenas em três anos. Só que quem sofre com os prejuízos, precisa de soluções .

Fonte: Catve

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Esconder