Servidores da Unioeste aprovam paralisação para o dia 15

Decisão unânime foi tomada em assembleia esta tarde; mudanças na aposentadoria são razão.

Os servidores da Unioeste (Universidade Estadual do Oeste do Paraná) irão paralisar as atividades nesta quarta-feira (15) somando-se aos atos do Dia Nacional de Paralisações e Luta contra a PEC 287, Proposta de Emenda à Constituição que poderá significar o fim da aposentadoria para milhares de brasileiros.

A paralisação do 15 de março foi aprovada por unanimidade em assembleia geral do Sinteoeste (Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos do Ensino Superior do Oeste do Paraná) realizada nesta segunda-feira (13). A luta nacional contra a Reforma da Previdência proposta pelo Governo Temer (PMDB) está sendo convocada por centrais sindicais em todo o país e deve unir tanto trabalhadores do serviço público quanto da iniciativa privada.

Também foi deliberado na assembleia do Sinteoeste participação dos servidores da Unioeste e do HUOP (Hospital Universitário do Oeste do Paraná) no ato unificado de movimentos sociais e sindical em frente à sede do INSS. O horário do ato será definido nesta terça-feira (14) pelas entidades participantes.

Um dos pontos da PEC 287 é que seja estabelecida idade mínima de 65 anos, eliminando a concessão do benefício por tempo de serviço. O valor da aposentadoria passaria a ser calculado levando-se em conta 51% das maiores contribuições com 1% adicionais a cada ano de contribuição. Na prática, isso faz com que seja necessário trabalhar formalmente por 49 anos para se obter o benefício integral. Além disso, a PEC liquida a aposentadoria especial dos professores, que hoje podem encerrar a carreira com 25 e 30 anos de serviço para mulheres e homens, respectivamente.

Hoje não há idade mínima para a aposentadoria por tempo de contribuição. São necessários 35 anos de recolhimento para homens e 30 para mulheres. Já para se aposentar por idade, hoje é necessário ter pelo menos 15 anos de recolhimento e 65 anos de idade para os homens e 60 para as mulheres.

Com a reforma da Previdência quem quiser se aposentar precisará ter pelo menos 65 anos, tanto para homens quanto para mulheres e 25 anos de recolhimento, porém, para receber 100% no benefício serão necessários, na prática, 49 anos de recolhimento.

A presidente do Sinteoeste, Gracy Kelly Bourschei, destaca que luta contra a PEC 287 deve ser intensa, mobilizar todos trabalhadores – da iniciativa pública e privada, estudantes. Ela faz uma convocação a todos os servidores técnicos e professores da Unioeste a se somar ao movimento de luta.  Para ela, a reforma da Previdência é nefasta para todos os trabalhadores, mas lembra que ela prejudica especialmente as mulheres.

A dirigente sindical lembra que a idade de concessão de aposentadoria estabelece essa distinção justamente porque a mulher trabalha mais tempo que o homem. No dia 6 de março o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgou o estudo Retrato das Desigualdades de Gênero e Raça, revelando que as mulheres trabalham, em média, 7,5 horas a mais que os homens por semana.

Fonte: CGN

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Esconder