Empresário é preso com carnes de caça ilegal e armas na região

A polícia apreendeu 13 quilos de carnes e peles de animais silvestres provenientes de caça ilegal.

Um empresário de 41 anos foi preso em flagrante na manhã de segunda-feira (27), em posse de 13 quilos de carnes e peles de animais silvestres proveniente de caça ilegal, além de diversas armas e instrumentos específicos utilizados na caça dos bichos.

A prisão aconteceu no Bairro Jardim Iguaçu, na residência do homem. O trabalho foi realizado pela Polícia Civil de Santa Terezinha do Itaipu.

Durante a ação, foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão, um na residência do homem e outro em sua empresa, uma metalúrgica situada na área industrial do município. Na casa do suspeito, a equipe localizou cinco quilos de carnes e peles de animais silvestres, além de alguns apetrechos para caça.

Em continuidade as diligências os policiais se deslocaram até a empresa do homem, onde encontraram cinco armas de pressão, sendo que três delas estavam modificadas para calibre 22, bem como dois revólveres de calibre 32, nove flechas com ponta lança de ferro, quatro arco e flecha, dois frascos de chumbo usados para recarregar cartuchos de espingardas, três frascos com pólvora, um frasco de espoleta, dez canos de espingarda de pressão, quatro lunetas e mais oito quilos de carnes proveniente de animais silvestres. No local, a equipe também encontrou carcaça e rabos de tatu e lagarto.

De acordo com o delegado responsável pela ação, Paulo Renato Caldas de Araújo, o homem estava sendo investigado há aproximadamente três meses. “Na delegacia, ele assumiu que modificava as armas e que praticava a caça ilegal de animais silvestre”, informa Araújo, ressaltando ainda que “com essa prisão também conseguimos identificar demais pessoas envolvidas com o crime. As diligências continuam com o intuito de localizar e responsabilizar os demais suspeitos”, finaliza o delegado.

Diante dos fatos o empresário foi encaminhado até a unidade policial, onde foi autuado e preso por posse ilegal de arma de fogo de uso permitido e restrito, posse de arma de fogo com sinal de adulteração e por matar espécimes da fauna. Se condenado, poderá pegar até 20 anos de prisão.

Fonte: CGN/Bem Paraná

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Esconder