Esposa confessa morte de marido policial civil

Após ser agredida e registrar boletim, mulher atirou no homem três vezes durante a madrugada.

A esposa de um policial civil morto a tiros em Maringá, na madrugada desta segunda-feira (06), procurou a 9ª SDP (Subdivisão Policial) e confessou o crime.

Durante o interrogatório, Beatriz Pereira Torres, 52 anos, contou os detalhes do crime e o que motivou a morte do marido, Adalton Rogério Torres, 56. Segundo a mulher, no domingo (05), os dois tiveram um desentendimento, sendo que ela foi agredida e registrou um boletim de ocorrência na delegacia.

O policial, transtornado, atirou no pátio da delegacia após o registro. Com a cena, os colegas do policial recolheram a pistola do homem.

A esposa e o filho, de 34 anos, dormiram fora de casa após o registro. Durante a madrugada, a mulher voltou a casa e pegou uma das armas do marido guardadas em casa, atirando três vezes contra eles, dois tiros no peito e um na cabeça.

Após matar o marido, Beatriz teria confessado o crime para uma amiga que acionou a Polícia Civil. Adalton foi encontrado na cama, já sem vida, com dois revólveres calibre 22 e 357 ao lado do corpo.

O filho do casal, que teria participado do crime, se escondeu em um quarto de motel na cidade de Sarandi, onde horas depois foi localizado pela polícia.

A mulher chegou à delegacia estava com os olhos roxos de apanhar do marido. A esposa disse ao delegado Diego Almeida, que viveu 37 anos sofrendo nas mãos do marido. No depoimento a mulher ainda disse que o policial colocava a arma apontada em sua cabeça em algumas discussões, fazendo a roleta russa.

A esposa foi ouvida e deverá responder pelo crime em liberdade. O filho do casal também foi ouvido e liberado.

Adalton estava na Polícia Civil a mais de 35 anos.

Foto: André Almenara.

Fonte: CATVE Com André Almenara

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Esconder